quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Resenha: Contos da Seleção: O Príncipe & o Guarda

Título: Contos da Seleção: O Príncipe & o Guarda
Editora: Seguinte
Autora: Kiera Cass
Páginas: 288
Ano: 2014

Sinopse:
Os dois contos que se passam no universo criado por Kiera Cass, autora da trilogia A Seleção, agora estão disponíveis em edição impressa. Em O príncipe e O guarda, o leitor pode acompanhar de perto os pensamentos e emoções dos dois homens que lutam pelo amor de America Singer. Antes de America chegar ao palácio, já havia outra garota na vida do príncipe Maxon. O conto O príncipe não só proporciona um vislumbre das reflexões de Maxon nos dias que antecedem a Seleção, como também revela mais um pouco sobre a família real e as dinâmicas internas do palácio. Descobrimos como era a vida do príncipe antes da competição, suas expectativas e inseguranças, assim como suas primeiras impressões quando as trinta e cinco garotas chegam. Para America, a vida antes da Seleção também era muito diferente. A começar pelo fato de que ela estava completamente apaixonada por um garoto chamado Aspen Leger. Criado como um Seis, ele nunca imaginou que acabaria se tornando membro da guarda do palácio. Em O guarda, acompanhamos Aspen a partir do momento que o grupo de trinta e cinco garotas da Seleção é reduzido para a Elite, conhecemos sua rotina dentro das paredes da casa da família real - e as verdades sobre esse mundo que America nunca chegou a conhecer. Leitura indispensável para os fãs de A Seleção, esta antologia inclui, ainda, um final estendido do conto O príncipe; conteúdos extras exclusivos, como uma entrevista com a autora e dados inéditos sobre os personagens; além dos três primeiros capítulos de A escolha, o aguardado desfecho da trilogia, que será lançado em maio de 2014.

Resenha:

CONTOS DA SELEÇÃO é uma coletânea que reúne dois contos: O Príncipe e O Guarda que apresentam, respectivamente, as perspectivas do príncipe Maxon e do guarda Aspen Leger a respeito de alguns momentos narrados em A SELEÇÃO.

Em O PRÍNCIPE conhecemos Maxon antes e durante a seleção, acompanhamos o amadurecimento de um jovem príncipe até se tornar um rei. Podemos observar sua vulnerabilidade e preocupação em relação ao amor e se ele conseguirá achá-lo na SELEÇÃO, e sua submissão perante o pai.

Maxon é determinado, forte, amoroso, engraçado, sincero e com um "quê" de inocência, qualidades raramente presentes nos membros da realeza. O ponto primordial deste livro é retratar tudo que aflige este rapaz, que mesmo novo carrega consigo uma carga de responsabilidade gigante, vivendo alienado e subordinado às inconstâncias do pai e às cobranças da mãe. Maxon se vê obrigado a reger sua vida de acordo com as tradições da família e encontrar na SELEÇÃO sua rainha. Isso explica sua completa surpresa e espanto ao se deparar com nossa corajosa America, vinda de um ''mundo'' distante do dele, mostrando-no uma realidade controversa àquela que ele costumava ter de seu país. Ele vê em America a janela para o mundo fora dos muros do castelo, um mundo que depende dele, é perceptível sua ânsia em lutar em nome dos seus súditos e sua sensibilidade em sonhar que fará isso ao lado de sua rainha.

Cada detalhe nos faz mergulhar ainda mais no mundo da SELEÇÃO, compadecendo-nos e incitando-nos a torcer pela felicidade desse jovem príncipe, ao conhecermos melhor seus anseios e medos torna-se impossível não amar o personagem.


“Ela era linda, ainda que um pouco rústica. Era uma beleza incomum, e pude reparar que ela não tinha consciência disso. Ela não parecia ter nenhum ar de realeza, embora talvez houvesse algo de nobre em seu orgulho. E, claro, ela não nutria qualquer desejo por mim. Ainda assim, não conseguia me livrar do impulso de ir atrás dela. E foi assim que a Seleção me prestou seu primeiro favor: com America no palácio, eu teria a chance de tentar.” - Príncipe Maxon


Em O GUARDA confirmei mais uma vez meu amor incondicional por Aspen, e a total burrice de America por deixá-lo. #diga-se de passagem. O ponto principal dessa perspectiva é mostrar a evolução do garoto da castra Seis ao Guarda da realeza. Graças ao trabalho de Aspen no palácio, ele consegue acompanhar as decisões governamentais tomadas pelo rei, o medo e a ação por trás dos ataques rebeldes, o verdadeiro teor distópico da trama. Sendo ele uma peça fundamental no quebra-cabeças criado por Kiera Cass.

Lemos neste conto cenas que retratam seu grande coração, que mesmo golpeado por toda a dificuldade que passou na vida nunca deixou de ser quem era. Nem a fome, nem a perda do pai, nem a responsabilidade pelo sustento de sua família ou a impossibilidade de viver com a garota que ama fez dele mais amargo ou mais frio, Aspen nunca perdeu sua essência: um rapaz íntegro, honesto, amoroso e dotado de uma sensibilidade incomum. Isso que faz dele o meu personagem favorito da serie.    

''Eu estava em busca das coisas boas. E ela era a única coisa boa em mim. Segurei as lágrimas e permaneci forte. Só precisaria continuar lutando.'' - Aspen Leger


Os dois contos teve seus altos e baixos, porém é esclarecedor conhecer a história por outros pontos de vista e assim chegar a uma conclusão final dos fatos. Por mais que acredite que poderia ter sido mais explorado o lado corriqueiro de Aspen e o lado determinado de Maxon, abordando ainda mais a distopia na serie. 

Recomendo o livro para os fãs da série A SELEÇÃO e à todos que assim como eu são apaixonados por estes contos fabulosos de Kiera Cass.





VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR:
                             
RESENHA: A SELEÇÃO -                         RESENHA: A ELITE -                    RESENHA: A ESCOLHA
 KIERA CASS                                             KIERA CASS                                     KIERA CASS
                               


Nenhum comentário:

Postar um comentário